Revista A Ana Maria Braga
Clique e assine a Revista A
Vida PrŠtica - Carros

Manual de sobrevivência no trânsito

Confira dicas para sobreviver aos perrengues do trânsito

Gabriella Galvão
MorgueFile
Ar quente

Sem ar condicionado no carro? Sua pele também vai sofrer nos dias mais quentes. A tendência é você suar além do normal, o que pode deixar a cutis mais oleosa. Para evitar o problema, aposte no efeito mata-borrão dos produtos matificantes, de preferência com proteção solar. Eles têm princípios ativos de ação prolongada, que agem como se fossem uma esponja, absorvendo temporariamente o óleo, e não a água, dando um efeito opaco na pele, eliminando  a sensação de rosto engordurado. Além disso, tenha no porta-luvas lencinhos matificantes, que absorvem todo o óleo.

Check up

Fique atenta a alguns sinais nas suas mãos: pele vermelha, com descamação e coceira. Caso isso aconteça, procure um dermatologista, pode ser uma dermatite de contato. Segundo José Carlos Greco, quem passa muito tempo em contato com o volante  e o câmbio do carro pode desenvolver a doença, principalmente se já tiver pré-disposição. Nesse caso, parte do tratamento é usar luvas de algodão para dirigir e evitar as de couro, que podem piorar o quadro.

Para não sair do limite

Enfrentar o trânsito exige cada vez mais paciência e saídas alternativas para não se deixar dominar pela tensão. Mantenha CDs e pen drives com suas músicas favoritas sempre à mão. “Não existe uma receita com músicas anti-estresse que funcionem para todo mundo. Uma pessoa pode se acalmar com música clássica enquanto, para outra, o que resolve é um rock. O que importa é o resultado final, fique com a sua coleção”, diz a psicóloga Marilda, que dá os seguintes conselhos:

- Aproveite o momento para pensar nas pendências do dia a dia.

- Relembre situações bacanas que acaba colocando no baú emocional. Resgate suas memórias agradáveis.

- Faça um exercício de respiração profunda. Imagine que seu abdômen é uma bola de encher e que você tem um canudo no umbigo que vai até o nariz. Inspire pelo canudo, inflando a bola. E expire pela boca soltando o ar devagarinho, esvaziando a bola. “Você distrai a mente, diminui a excitabilidade gerada pelo estresse e a ansiedade, já que o oxigênio age como tranquilizante”, diz Marilda.

 

 
Conheça outras edições do Grupo Estilo
Loja da Ana
© 2012 Site Revista A - Ana Maria Braga • Duetto Editorial • Todos os direitos o reservados.
Site desenvolvido por Departamento Multimídia • Duetto Editorial.