Revista A Ana Maria Braga
Clique e assine a Revista A
Casa - Pet

Proteção neles

A bicharada adora um solzinho, mas a exposição exagerada é um perigo

Annamaria Aglio
Foto: Shutterstock
Apesar de importante para a produção de vitamina D pelo organismo, os raios ultravioleta em excesso podem trazer riscos à saúde.

OS PROBLEMAS

Um deles é a queimadura, principalmente nos animais de pelagem e pele claras e nas áreas quase sem pelos, como orelha, focinho e barriga. “A dermatite solar pode evoluir para formas malignas de câncer de pele e levar o pet à morte”, alerta o veterinário Orson Kamakura, do Instituto Dog Bakery de Medicina Animal,em São Paulo(SP). Além disso, os cães não transpiram como nós. Com uma pequena quantidade de glândulas sudoríparas nos coxins (as “almofadinhas” sob as patas), só conseguem resfriar o corpo pela respiração. “Eles ficam ofegantes para acelerar a troca de temperatura. E os que mais sofrem são os de focinho curto, por terem, anatomicamente, uma dificuldade”, explica. Outro problema que pode aparecer é a hipertermia, um superaquecimento que eleva a temperatura a42 °C, ocasionando alterações, como vômito, insuficiência respiratória, arritmia cardíaca, coagulação intravascular disseminada, convulsão, choque e até mesmo o óbito.

A PROTEÇÃO

Siga as recomendações:

*Evite exercícios intensos com pets entre 10 e 16 horas.

*Prefira áreas sombreadas e terrenos com pisos como gramado e terra, que não queimem os coxins.

*Ofereça sempre água fresca.

*Evite viagens de carro sem ar condicionado.

*Nunca deixe seu animal dentro do carro fechado em dias de sol e calor.

*Mantenha cães e gatos em ambientes ventilados.

*Não use roupas em épocas quentes, mantenha a tosa curta e utilize protetor solar específico para pets.

 
Conheça outras edições do Grupo Estilo
Loja da Ana
© 2012 Site Revista A - Ana Maria Braga • Duetto Editorial • Todos os direitos o reservados.
Site desenvolvido por Departamento Multimídia • Duetto Editorial.